O objetivo do blog é divulgar os dispositivos alternativos na rede de Saúde Mental e propagar a ideia da luta antimanicomial. A partir da democratização da psiquiatria, os profissionais de saúde mental visam trabalhar de forma interdisciplinar no âmbito do novo contexto da psiquiatria renovada.

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Serviços Residenciais Terapêuticos - SRT


A desinstitucionalização e efetiva reintegração de portadores de sofrimentos mentais na comunidade é uma tarefa a que o SUS vem se dedicando com especial empenho nos últimos anos. Juntamente com os programas De Volta Para Casa e Programa de Reestruturação dos Hospitais Psiquiátricos, o Serviço Residencial Terapêutico (SRT) vem concretizando as diretrizes de superação do modelo de atenção centrado no hospital psiquiátrico.
         
            As residências terapêuticas constituem-se como alternativas de moradia para um grande contingente de pessoas que estão internadas há anos em hospitais psiquiátricos por não contarem com suporte adequado na comunidade.
Além disso, essas residências podem servir de apoio a usuários de outros serviços de saúde mental, que não contem com suporte familiar e social suficientes para garantir espaço adequado de moradia.
Temos hoje, no Brasil, um grande número de potenciais beneficiários destas residências. Pessoas que poderiam deixar o hospital psiquiátrico com a garantia de seu direito à moradia e ao suporte de reabilitação psicossocial.
Existem também usuários sem histórico de internações prolongadas, mas que por razões diversas precisam de dispositivos residenciais que permitam prover adequadamente suas necessidades de moradia.
O Serviço Residencial Terapêutico (SRT) – ou residência terapêutica ou simplesmente "moradia" – são casas localizadas no espaço urbano, constituídas para responder às necessidades de moradia de pessoas portadoras de transtornos mentais graves, institucionalizadas ou não.
O número de usuários pode variar desde 1 indivíduo até um pequeno grupo de no máximo 8 pessoas, que deverão contar sempre com suporte profissional sensível às demandas e necessidades de cada um.
O suporte de caráter interdisciplinar (seja o CAPS de referência, seja uma equipe da atenção básica, sejam outros profissionais) deverá considerar a singularidade de cada um dos moradores, e não apenas projetos e ações baseadas no coletivo de moradores. O acompanhamento a um morador deve prosseguir, mesmo que ele mude de endereço ou eventualmente seja hospitalizado.
O processo de reabilitação psicossocial deve buscar de modo especial a inserção do usuário na rede de serviços, organizações e relações sociais da comunidade. Ou seja, a inserção em um SRT é o início de longo processo de reabilitação que deverá buscar a progressiva inclusão social do morador.
No início dos anos 90, experiências de sucesso nas cidades de Campinas (SP), Ribeirão Preto (SP), Santos (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Porto Alegre (RS) demonstraram a efetividade da iniciativa na reinserção dos pacientes na comunidade. Estas experiências geraram subsídios para a elaboração da Portaria n.º 106/2000, do Ministério da Saúde, que introduz os SRTs no âmbito do SUS.
Por ser recente, a implantação dos SRTs vem sendo discutida em vários âmbitos, de modo a assegurar que esta alternativa seja a mais adequada possível para auxiliar o morador em seu processo – às vezes difícil – de reintegração à comunidade. É preciso ter sempre em mente que a questão central é a moradia, o morar, o viver na cidade. Assim, tais residências não são precisamente serviços de saúde, mas espaços de morar, de viver, articulados à rede de atenção psicossocial de cada município.

9 comentários:

  1. ONDE ENCONTRO EM PORTO ALEGRE...RESIDENCIAIS TERAPEUTICOS PARA DOENTES MENTASI???
    AGUARDO RESPOSTA...OBRIGADA

    ResponderExcluir
  2. Entre em contato com a Coordenação de Saúde Mental de Porto Alegre:

    Irma Rossa
    (51) 3289-2775 (direto)
    (51) 3289-2899 (ramal 2775)
    e-mail: irma@sms.prefpoa.com.br

    Disque Saúde do Ministério da Saúde: 0800 61 1997

    Cartilha de residências terapêuticas:
    http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/cartilha%20de%20residenciais.pdf

    ResponderExcluir
  3. Site do conteúdo programático do curso técnico de informática:
    http://www.inform4tica.com/index.php?function=inftecconteudo

    ResponderExcluir
  4. a srt funciona de que horário e se atende todos os dias de srt de são paulo

    ResponderExcluir
  5. É um grande Projeto !!
    Parabéns .

    ResponderExcluir
  6. MORO NO RIO DE JANEIRO E GOSTARIA DE SABER ENDEREÇOS NO RIO, POIS MINHA IRMÃ NÃO ACEITA TRATAR-SE EM CAPS. COMO FAZER?

    ResponderExcluir
  7. eu também gostaria de um endereço e telefone do rio tenho um tio com esse problema estou passando um sufoco socorroooooooo por favor estou desesperada

    ResponderExcluir
  8. A residência terapêutica é dispositivo da saúde mental que acolhe pacientes provindos de longas internações psquiátricas,mas com algumas ressalvas: A RT é destinada para aqueles longamente institucionalizados QUE JÁ NÃO POSSUEM QUALQUER LAÇO FAMILIAR E SOCIAIL; NÃO TENHA NENHUMA MORADIA; NÃO TENHA POSSIBILIDADE DE DESFRUTAR DE INTEIRA AUTONOMIA SOCIAL. O paciente neste dispositivo estará vinculado ao CAPS do município no intuito de promover a reinserção social do sujeito. Ou seja,Marcelo, um coisa não substitui a outra. É muito de difícil mesmo. Acompanhei um caso interessante de sujeito morador de residência terapêutica (sem qualquer suporte familiar) mas que resistia estar no CAPS. A equipe lidava com isso sempre no estímulo mas não o obrigava estar lá rigorosamente.
    Rosana, Durante toda minha trajetória em campo de estágio , á época, escutava o´´ sufoco' por parte dos familiares de lidar com os pacientes graves na vida concreta, lá no dia-a dia. Tenho de lidar com meu próprio pai numa situação grave e as vezes penso qe não vai dar. Hoje ,com a reforma psiquiátrica, as internações acontecem de forma muito criteriosa. São sempre rapidas e com o acompanhamento dos familiares e com propria decisão dos pacientes. A residência terapêutica foi criada justamente para descredenciar os milhares de leitos do SUS de forma substitutiva. O sujeito sai da moradia em manicõmio e vai morar neste tipo de moradia.O PROBLEMA É QUE O ESTADO NÃO DAR O SUPORTE NECESSÁRIO PARA O CUIDADO DO lOUCO E SEU ACOMPANHANTE. NÂO TEM REMEDIOS , O SUJEITO É POBRE ,MORA EM UM LUGAR COM POUCOS CÔMODOS, NÃO CONSEGUE MAIS EMPREGO E POR AÍ VAI. EXISTEM ALGUMAS RESIDÊNCIAS TERAPÊUTICAS NO RJ SIM O ENDEREÇO ESTÁ O SITE DO MINISTÉRIO DA SAÚDE, MAS SOMENTE NAQUELAS CONDIÇÕES ACIMA. NÃO SE DESESPERE... MUDE DE ATITUD E PROCURE AJUDA PARA LIDAR COM ISSO. EU MESMA FIZ ASSIM.
    ABRAÇOS. MARCELLE

    ResponderExcluir
  9. Bom dia! Tudo bem? Moro em São Paulo, no bairro Jabaquara e gostaria de saber qual é o fluxo de atendimento para o paciente? E também qual é o serviço de referência?

    Muito Obrigada!

    ResponderExcluir

Poderá também gostar de:

Related Posts with Thumbnails